Piraíba

Está aí o peso pesado. O Piraíba é maior espécie de bagre que existe no Brasil.

O Piraíba é maior bagre que existe no Brasil

O segundo maior peixe de água doce do país, só perde para o Pirarucu, pode chegar a pesar 300 kg e medir cerca de 2,80 metros!

Vamos saber mais sobre este gigante da região amazônica e entender porquê os pescadores são tão fascinados por esta aventura!

Origem do Nome Piraíba

Ele pode chegar a quase 3 metros

Seu nome vem do Tupi. Pirá(peixe) e aíba(ruim).

Esta fama de ruim se deve, segundo moradores próximos do rio Amazonas, ao fato de que o Piraíba pode engolir pessoas e que vez por outra alguns pescadores somem por ali.

Também conhecido como Piratinga(pira+tinga= peixe branco)e Piranambu(pira+inhambu=peixe voador que rumoriza). 

Existem muitos vídeos que mostram o Piraíba fazendo um som que parece um ronco.

Em alguns períodos do anos é possível ver alguns deles saltando na superfície.

Dados Científicos:

Ordem: Siluriformes

Família: Pimelodidae ( Sorubiminae)

Gênero: Brachyplatystoma

Espécie: Brachyplaystoma filamentosum

Principais Características Desse Peixe

Como todos de sua espécie, possui o corpo roliço, cabeça achatada com pequenos olhos situados na parte de cima.

Os barbilhões são extremamente longos

Os barbilhões( “bigodes” ) são bem longos. Chegam a ter duas vezes o tamanho de seu corpo. 

O segundo par de barbilhões é pequeno, sendo quase do tamanho de sua nadadeira peitoral.

Sua boca fica mais na parte de baixo, virada para a mesma direção.

Os Piraíbas jovens(chamados de filhotes) têm uma coloração mais clara, com várias manchas escuras e arredondadas que desaparecem à medida que fica mais velho.

Piraíba adulto

Nos adultos sua cor é de um cinza mais escuro e amarronzado e na barriga, mais clara.

Onde Encontramos o Piraíba e Seus Hábitos

Eles preferem águas claras ou turvas

Eles ficam nas Bacias do Araguaia e Amazonas.

Costuma ficar no fundo dos rios, nos canais de águas claras ou turvas.

Em certas épocas é comum observá-los saltando na superfície.

Sua Alimentação

São piscívoros, ou seja, se alimentam essencialmente de peixes. Às vezes morrem engasgados com grandes peixes entalados na garganta.

Piraíba engasgado com um peixe na boca

Ele tem hábitos noturnos, quando sai para caçar principalmente outros tipos de bagres além de caranguejos e répteis.

Reprodução e Acasalamento

É um peixe de Piracema, pode viajar 4 mil quilômetros para encontrar o local mais adequado para lançar seus ovos.

Realizam a Piracema também

O Período de Defeso varia de acordo de em qual Bacia você pretende pescar. Clique aqui para obter esta informação.

Vamos à Pesca!

Esta é uma pesca especial, pois é considerada uma das mais técnicas e específicas.

É uma pescaria cheia de técnicas específicas

Os pescadores mais experientes dizem que a pesca de uma boa Piraíba depende da estação, fase da lua, temperatura e turbidez da água

É mesmo um desafio.

O piraíba não é simples de pescar

Os equipamentos têm de ser de categoria extra pesada.

Pode ser o mesmo equipamento usado em pescas de Jaú e Pirarara(veja mais informações sobre a Pirarara em outro post de nosso blog aqui).

O Piraíba não aguenta muito tempo de briga, então é preciso usar linhas muito fortes para diminuir assim o tempo de pesca para se certificar da sobrevivência do peixe caso não seja para consumo.

As linhas devem ser de, em média, 80 libras , de monofilamento 0,92mm e varas de ação rápida.

Linha de 80 libras, 0,92mm é usada nesta pesca

O anzol é o de 10/0 à 12/0. Empates de aço de 200 lbs. Giradores com mais de 200 lbs. Chumbo até 30g para lugares de águas mais lentas e um pouco mais pesado se for para pesca em local de corredeiras.

Anzóis extra fortes

O girador e o empate precisam de uma resistência de 200lbs, pelo menos.

Empate e girador de 200 lbs, pelo menos

Aprenda os Cuidados Com o Bagre Nesse Outro Artigo!

Como Ter Uma Boa Pesca

Basicamente você precisa para esta pesca:

  1. Uma bela vara com resistência extra pesada;
  2. Molinete ou carretilha com perfil alto, capacidade para 200 a 450 metros de linha grossa e bastante resistente;
  3. Braço. É preciso ter braço para dar conta deste gigante.
Além de uma boa vara, é preciso muito braço!

Estamos falando de um peixe de couro que pode chegar a 2,8 metros e 200 quilos de peso. Apesar de que espécies deste porte são bem mais raros hoje em dia devido a pesca que vem aumentando muito e prejudica a perpetuação dos peixes maiores.

Lembre que você pode pegar um gigante

Uma técnica muito usada é a de soltura de iscas.

 Libera-se cerca de 100 até 300 metros de linha por equipamento desde onde a isca foi solta até onde está o barco.

Para isso, é preciso deixar prontos 2 ou 3 conjuntos de equipamentos de resistência extra pesada com chumbos leves e anzóis grandes.

Quando for preparar o anzol com o empate de aço, o ideal é usar duas quatro luvas ao invés de somente duas.

 Desse jeito podemos manusear tudo com mais segurança para que fique tudo bem reforçado e firme.

O ideal é usar luvas resistentes na hora de preparar o anzol

Procure Um Bom Guia

Caso queira mais emoção mesmo, de pescador raiz, é indicado movimentar o barco e parar por umas três vezes para arremessar a isca em lugares distintos.

Arremesse a isca em lugares diferentes

O que vai fazer toda a diferença também é o guia que lhe acompanha. 

Ele é um aliado importante, pois sabe os melhores locais, percebe a presença dos cardumes de pequenos peixes ao longo do rio e sabe exatamente onde a isca deve ser lançada.

Um bom guia na hora da pesca faz toda a diferença

O guia vai atuar também depois da fisgada. Sua agilidade junto ao pescador vai cuidar para que o barco seja solto rapidamente permitindo a briga e diminuindo a chance da linha enroscar.

Acompanhe aqui o vídeo dessa reportagem de uma pesca emocionante de um Piraíba de 140 quilos e 2 metros e 18 cm de comprimento.

Iscas

As iscas vivas são, sem dúvida, as mais indicadas. Pequenos peixes como os Candirus, Cachorras, Barbados, Palmitos, Pacus, Piaus e Curimbatás vão atrair com certeza o Piraíba.

Iscas de pequenos peixes: curimbatá e candirú

Cuidados com o Piraíba

Quando for pegar mesmo o peixe, é preciso ficar atento para que este lindo espécime não sofra com ataques de parasitas como o do candiru(Vandellia cirrhosa)que nadam até as guelras dos peixes para se alimentar do sangue e ali se instalam podendo comprometer a saúde e a vida do Piraíba.

Antes de soltar verifique se ele está em condições de voltar para a água

Para evitar este risco, solte-o no meio do rio, onde os candirus encontram mais dificuldade para atacar.

Existem relatos também de ataque de botos no ato da soltura da pesca. 

Vale lembrar que às vezes o Piraíba está esgotado pela briga na hora da fisgada.

Então ele pode acabar morrendo quando solto. Se perceber este cansaço, talvez seja mais interessante levar com você.

Vale aqui uma observação: o Piraíba está próximo do risco de extinção, então é preciso consciência para que possamos manter este animal preservado para garantir muitas pescas além de só ver este belíssimo peixe através de uma foto ou vídeo.

Ele corre o risco de entrar em extinção

Propriedades Nutricionais Do Piraíba

Quanto maior o Piraíba mais fibrosa a carne. A maioria dos filhotes no mercado pesa em torno de 10 kgs.

De carne branca e gordurosa, existe uma crença de que sua carne faria mal ao ser humano, mas nada disso foi comprovado.

Nos mercados e peIxarias são conhecidos como Filhote

Uma porção de 100 gramas de Piraíba tem cerca de 228 Calorias, 0 Carboidratos, 13 gramas de Gordura e 20 gramas de Proteína.

O Piraíba na Culinária

Este peixe é muito conhecido como Filhote nos mercados e peixarias. Filhote, nada mais é que o Piraíba “criança”.

De sabor intenso e carne bem branca e encorpada, é muito usado em receitas de caldeiradas e moquecas. Os filés são altos e seduzem a gente até pela beleza.

Um prato muito apreciado é a Moqueca de Filhote :

Moqueca de Filhote(Piraíba)

Se preferir algo mais leve, podemos ir de Filhote Assado com Ervas:

Filhote(Piraíba) Assado com Ervas

Uma boa receita regional é super bem vinda. Que tal este Filhote em Crosta de Castanha do Pará com Molho de Camarão?

Filhote em Crosta de Castanha do Pará com Molho de Camarão Selvagem

Curiosidades

Existe um programa chamado Monstros do Rio apresentado por Jeremy Wade onde ele vai atrás de peixes curiosos e/ou perigosos pelo mundo todo.

Poster do programa Monstros do Rio

Em um destes programas, o apresentador esteve na Amazônia atrás do Piraíba para saber se existe verdade na história de que um homem foi encontrado dentro da boca deste peixe por lá.

A primeira coisa que o programa fez foi encontrar alguma testemunha do caso. 

Jeremy e o Caso do Piraíba

Seu Valmir, morador da região, conta que durante uma pescaria, uma rede de pesca ficou presa em uma pedra dentro do rio. Um pescador então, mergulha e tenta soltar a rede. Depois de um tempo, a rede subiu sem peixe e nem pescador.

4 horas se passaram quando outros pescadores viram um peixe enorme se debatendo na superfície do rio. Ele estava engasgado.

Quando os pescadores olharam com mais atenção, viram as pernas do pescador desaparecido para fora da boca do peixe.

Tentaram pegar o peixe e nem foi tão difícil porque este estava já cansado de tanto se debater. Daí bateram até o peixe morrer. Colocaram na caminhonete o peixe com o homem dentro e tudo o mais e foram para a delegacia, afinal ninguém queria ser acusado de homicídio.

Seu Valmir disse que a boca deste Piraíba tinha 75 cm e que é comum sumir pessoas perto do rio e nunca mais serem encontradas.

Não existe foto deste fato, mas o programa fez uma montagem mostrando como seria a imagem do peixe com o homem na boca:

Montagem mostrando como foi encontrado o peixe com metade do homem para fora de sua boca

Abaixo temos a parte do programa em que o apresentador vai ao IML e é mostrado à ele fotos de pessoas devoradas por outros peixes.

Se quiser ir direto ao ponto onde Jeremy Wade tenta fisgar um Piraíba e concluir se é realmente possível este peixe engolir uma pessoa, passe direto aos 05:40 do vídeo.

Repare no som que o Piraíba faz. É bem interessante este programa.

O Piraíba e os Índios

Outra curiosidade é que os índios não costumam comer peixes de couro. Só os de escamas.

Peixe liso só em último caso e olhe lá. Eles acreditam que os peixes liso que vivem no fundo dos rios passam doenças para as pessoas.

Quem estiver doente e comer, não vai sarar nunca. Daí a crença de que a carne do Piraíba não boa para o consumo.

Crença esta já desmentida por vários estudiosos e chefs da região.

Os índios não costumam comer este peixe

E então? Empolgado para esta aventura bruta? Então pegue suas coisas e boa pescaria!

Mas lembre que vai ter que usar sua força para pegar esse gigante dos rios.

Deixe seu voto 😉
[Total: 0    Média: 0/5]
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •