Jundiá

O Jundiá é da mesma família que os bagres e é tão bigodudo quanto.

O jundiá compra uma boa briga

Esse nosso belo amigo pode proporcionar uma pesca estimulante e nos fazer renovar as energias com sua beleza e a boa briga que ele traz no anzol!

A Diferença Entre os Jundiás

Existem dois peixes de nome Jundiá: o Rhamdia quelen e o Leiarius marmoratus.

A diferença entre estes dois, se dá à nível científico.

jundiá nadando
O Jundiá Leiarius marmoratus possui grande variedade de cores e possui manchas bem características

No momento de descrever ou classificar certas características anatômicas internas como a bexiga natatória e o aparelho de Weber(estruturas de alguns peixes, como os bagres, que são usadas na captação de estímulos de som ou mudança de pressão).

Uma parte da evolução do bagre é o aparelho de weber

 

Pequenas diferenças acabam por diferenciar um peixe de outro, exceto pela variedade de cores e tonalidades.

bagre na mão
O Jundiá Rhandia quelen tem a cor acinzentada e o ventre é mais claro

O Leiarius marmoratus possui uma maior variedade de tons, cores e manchas. 

Já o Rhandia quelen é basicamente acinzentado/marrom e o seu ventre é claro ou esbranquiçado.

Ambos jundiás são da mesma ordem

É normal haver certa confusão entre os dois Jundiás, porém são da mesma Ordem e se diferenciam na Família.

Origem do Seu Nome

Jundiá é uma palavra de origem Tupi Guarani que significa “cabeça com espinho”.

Do tupi “Cabeça sem espinho”

Seu nome científico é Leiarius marmoratus ou Rhamdia quelen (ambos conhecidos como Jundiá) da família dos Pimelodiae ou Heptapteridae da ordem dos Siluriformes.

Seus nomes mais comuns são Jundía, Bagre, Nhurundia, Mandi-Guaru e Bragre-Sapo, entre outros, depende da região.

Suas Principais Características

O Jundiá Leiarius marmoratus
O Jundiá Leiarius marmoratus

Peixe de couro, o Jundiá tem a cor acinzentada mais escura com o ventre branco ou marrom em tons variáveis com manchas pretas  em formato circular, que lembra as manchas da onça.

O Jundiá Rhandia quelen
O Jundiá Rhandia quelen

A nadadeira caudal é bifurcada.

Nadadeira Caudal bifurcada
Nadadeira Caudal é bifurcada

Possui 3 pares de barbilhões.

Seus barbilhões

Pode chegar a 50 cm de comprimento e até 6 kgs de peso.

Onde Podemos o Encontrar

É distribuído por toda América do Sul, principalmente na Bacia Amazônica e sub-bacia do Teles Pires/Juruena.

Locais nativos do Judiá, Vermelho é onde tem mais, por Fishbase

Também vemos ele nas bacias do rio Paraná e nos rios Corantijn, Essequibo, Orinoco.

Hábitos do Jundiá

Vivem nos leitos dos rios e poços profundos, com o solo arenoso. Os mais jovens podem, eventualmente, entrar em lagos ou lagoas.

Judiá escondido no mato
São mais ativos à noite e gostam de ficar no fundo dos rios de águas calmas

Alimentam-se durante o dia todo, porém são mais ativos ao anoitecer e durante a noite.

Ficam mais escondidos por entre pedras, troncos e galhadas durante o dia.

cabeça de judiá
São mais ativos na noite

Eles preferem as águas mais calmas dos remansos.

Sua Alimentação

É onívoro, mas com tendência a piscívoro.

Também come insetos terrestres e aquáticos, crustáceos, restos de vegetação e substratos em geral.

comida de judiá
Além de comer peixes, crustáceos e substratos, também se alimentam de insetos terrestres

Reprodução e Acasalamento

Realizam migração reprodutiva(Piracema).

Judiá realizando piracema
Realizam a Piracema

Desovam em locais de água limpa, calma e fundo pedregoso.

Não costumam cuidar dos alevinos.

Alevinos do Jundiá
Alevinos do Jundiá

Costumam desovar duas vezes ao ano: no verão e na primavera.

Apresentam dimorfismo sexual: o macho é menor do que a fêmea,  possui uma pequena protuberância ventral além da cabeça mais achatada com mais musculatura.

casal de judiá, diferenças entre macho e fêmea
Dimorfismo sexual: o macho possui pequena protuberância no ventre e é menor do que a fêmea

Vamos à Pesca!

Como o Jundiá prefere as águas calmas, procure locais com poços mais fundos e remansos.

rio calmo para pesca
Prefira os locais de remanso e águas calmas com vegetação e galhadas

Caso esteja em um pesqueiro, opte por pescar perto das margens ou locais com vegetação.

Homem pescando no rio
Equipamentos devem ser de resistência média ou pesada

O equipamento deve ser o de resistência média/pesada.

As varas devem ter o comprimento entre 6 e 7 pés e linhas 20 até 25 lbs.

O judiá briga muito

Molinetes ou carretilhas devem comportar pelo menos 120 metros de linha.

É aconselhável o uso de chumbo de correr, porque assim o Jundiá não sente o peso da chumbada e não se assusta largando então a isca.

judiá pescado por homem

Iscas

A isca ideal é a minhoca ou minhocuçú, que devem sempre tocar o fundo do rio.

judiá sendo pescado
O uso de minhoca é efetivo

Além da minhoca, pode-se fazer uso também do camarão morto,pedaços de peixe, salsicha, fígado.

Isca de camarão
Isca de camarão

Um outra dica é aproveitar os dias de chuva ou logo após, principalmente se a água estiver mais quente.

Aproveito o tempo pós chuva para pescá-lo

As iscas artificiais são as flyes, os sapos de borracha, porém, por se tratar de peixe com barbilhões e que ficam no fundo, sua visão não é muito desenvolvida.

judiá na mão

O Jundiá é considerado um dos brages mais fortes na hora da pescaria. É bom estar pronto para um belo entrevero.

judiá na pesca
Se prepara para uma bela briga com o judiá

Vale sempre lembrar que os bagres possuem os esporões serrilhados nas nadadeiras dorsais que podem causar acidentes.

Tenha cuidado para não se machucar

Já falamos dos cuidados com o bagre, dá uma lida nesse artigo clicando aqui.

Caso vá devolver o peixe, utilize o anzol sem fisga e biodegradável, pois o Jundiá costuma engolir o anzol dificultando sua retirada e machucando muito o peixe.

Caso vá devolver o Jundiá, use anzol sem fisga e biodegradável, pois este peixe costuma engolir o anzol

O Jundiá na Culinária

filé de judiá cortado
Sua carne tem poucas espinhas

De carne muito saborosa, baixo teor de gordura e poucas espinhas, o Jundiá é um aliado nas dietas ou simplesmente nas receitas para quem adora um bom peixe!

100 gramas de Jundiá oferece 84 Calorias, 0,92 gramas de Gordura, 0 Carboidrato e 17,76 gramas de Proteína.

Para começar nossa ala de receitas deliciosas, que tal um delicioso Bolinho de Jundiá:

Bolinho de Jundiá
Bolinho de Jundiá

Fazendo o peixe assado, a gordura diminui bastante. Temos então, o Jundiá Assado:

Jundiá Assado
Jundiá Assado

E aproveitando aquele caldo gostoso do peixe, vamos de Ensopado de Jundiá:

Jundiá Ensopado
Jundiá Ensopado

Curiosidades

  • O Jundiá é o principal peixe produzido na região Sul devido ao seu crescimento mais rápido, boa resistência a temperaturas mais baixas, por apresentar um filé sem espinhas e por render 50% mais do que o principal peixe comercializado, que é a tilápia;
vários jundiás fora d'água
O judiá rende mais que a tilápia
  • O único lugar onde não são encontrados os Jundiás de jeito nenhum, é na Antártida;
  • Os acidentes com os ferrões do Jundiá são comuns. Muitas vezes peixes descartados por pescadores, atingem pessoas e o veneno deste peixe, mesmo depois de morto, ainda provoca danos.
Dois Biguás pescando um Jundiá
Dois Biguás pescando um Jundiá

Agora, conhecendo melhor o Jundiá(ou os Jundiás), a sua pescaria fica ainda mais excitante e com certeza vai lhe render boas histórias! 

É hora de pescar Jundiás e preparar aquele prato delicioso!

Deixe seu voto 😉
[Total: 0    Média: 0/5]
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •