Poderíamos recuperar a vida marinha do planeta até 2050

Não é segredo que os oceanos do planeta estão atualmente em um estado lastimável.

Poluição, mudança climática, pesca excessiva e outras interferências associadas aos seres humanos estão mudando rapidamente nossos oceanos mais rapidamente do que seus habitantes podem suportar, resultando em uma queda nos estoques de peixes, na diminuição da biodiversidade e nos recifes de corais.

Mas a história não precisa terminar assim.

Novas pesquisas sugerem que é possível reconstruir a vida marinha do planeta em abundância total até 2050. Embora a tarefa seja extremamente ambiciosa e alinhada com obstáculos colossais, o estudo de referência mostra que uma recuperação completa é possível se uma ação global for tomada. 

“Temos uma janela estreita de oportunidade para entregar um oceano saudável à geração de nossos netos, e temos o conhecimento e as ferramentas para fazê-lo. Deixar de abraçar esse desafio não é uma opção “

Disse o professor Carlos Duart, do Centro de Investigação do Mar vermelho no king Abdullah University of Science and Technology na Arábia Saudita, em uma declaração.

Pesquisas e ações

Os recifes de coral já sofreram enormes perdas devido às mudanças climáticas e à poluição. Richard Whitcombe / Shutterstock

Relatado na revista Nature , uma equipe internacional de cientistas marinhos de quatro continentes diferentes em 10 países avaliou como recuperar a biodiversidade do oceano, observando o impacto de intervenções de conservação oceânicas bem-sucedidas anteriormente.

Primeiro, eles observam que muitas espécies marinhas viram uma recuperação notável na parte de trás de esforços bem-sucedidos de conservação. 

Baleias jubarte e focas-elefante do norte, por exemplo, se recuperaram para linhas de base históricas após a proteção.

 As populações de focas cinzentas aumentaram em 1.410% no leste do Canadá e as lontras do sul cresceram de apenas algumas dezenas de indivíduos para vários milhares desde 1911. 

Veja fotos da premiação de Fotografia Subaquática de 2020

As tartarugas verdes também aumentaram suas populações de nidificação(construção de ninhos) em 4 a 14% ao ano, segundo algumas estimativas. 

Como essas tendências e dados mostram, a recuperação é possível mesmo em questão de décadas. No entanto, muito mais precisa ser feito. 

Filhotes de tartarugas marinhas fazem sua primeira jornada. Kjersti Joergensen / Shutterstock

Os mares estão mais quentes

Limitar mais mudanças climáticas é uma necessidade absoluta. Para que a vida marinha seja reconstruída com sucesso, os pesquisadores argumentam que devemos cumprir os objetivos mais ambiciosos do Acordo de Paris.

Há também mudanças nas políticas globais que podem negar o problema. Por um lado, uma regulamentação robusta sobre caça, caça furtiva e pesca excessiva pode aumentar drasticamente a população de peixes. 

Eles também pedem maior regulamentação das indústrias que exploram o fundo do mar e pressionam por um amplo aumento nas áreas marinhas protegidas. 

Não se engane, é um enorme desafio pela frente. Mas essa pesquisa promissora sugere que a situação do oceano pode não ser tão desesperadora quanto pode parecer .

“Estamos em um ponto em que podemos escolher entre um legado de um oceano resiliente e vibrante ou um oceano irreversivelmente perturbado”, disse Duarte.

Então vamos começar por nós mesmos, não podemos permitir que um dia a pesca acabe por causa da irresponsabilidade humana.

Deixe seu voto 😉
[Total: 0    Média: 0/5]
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Ei Vc, entre no Grupo do Telegram e veja as novidades da pescaAperte Aqui