Mandi

O Mandi é mais um bagre que faz sucesso na pescaria.

De diferentes tonalidades, existem mais de 200 espécies de Mandi. O que mais difere mesmo um do outro, são as cores e tamanho. No mais, possuem as mesmas características.

E vale lembrar que como um bom bagre, o Mandi tem ferrões que podem causar muita dor e fazer ferimentos graves.

Mas, mesmo assim, é uma pescaria cheia de emoção!

Origem do Nome

Do Tupi Guarani, mandi’i significa peixe do rio.

Também conhecido como Mandí Amarelo, Mandiuva, Mandi Pintado, Mandi Chorão(que emite um som parecido com um choro quando é retirado da água).

Ouça abaixo o som do Mandi Chorão ao ser retirado da água.

Seu nome científico é Pimeludus maculatus, da família dos  Pimelodidae, da ordem dos Siluriformes

Principais Características

Peixe de água doce, de couro, com nadadeiras que apresentam manchas negras e pequenas.

Traz esporões farpados que carregam um muco tóxico nas nadadeiras peitorais e também dorsal.

Seu corpo é um pouco comprimido e alongado. Vai afunilando no sentido da cabeça até a cauda.

A cabeça tem o formato de cone com os olhos instalados nas laterais.

Os barbilhões que saem dos maxilares alcançam mais da metade de seu corpo.

Sua cor predominante é parda, tom amarelado nos flancos e branca na barriga com uma linha mais escura no dorso. Pode apresentar manchas escuras ao longo do corpo todo e pintas nas suas nadadeiras.

Peixe de porte médio, ele pode chegar a 40 cm de comprimento e 4 kg de peso.

Onde Encontrar

É bastante comum nos rios brasileiros.

Também é encontrado nas Guianas, Venezuela, Peru, Bolívia, Paraguai e Argentina.

Hábitos do Mandi

É um animal pacífico à priori, vive em remansos, margens dos rios, lugares que tenham cascalho ou areia no fundo.

É mais usual encontrá-lo em pedreiras ou canais de rios com uma profundidade um pouco maior.

Sua Alimentação

Onívoro, come de tudo um pouco.

Larvas de insetos, insetos, algas, moluscos, peixes e restos de vegetação.

Reprodução e Acasalamento

Seus alevinos

São ovíparos e seu período de reprodução é na época de maior calor e com mais chuvas no ano. Entre a Primavera e o Verão, é a época onde menos se registra alevinos de Mandi.

Prefere desovar nos pequenos afluentes mais próximos.

Veja também esse outro bagre famoso: o Barbado

Depois de nascidos, os filhotes têm de se virar sozinhos, pois o Mandi não tem o hábito de cuidar de sua prole.

Vamos à Pesca!

Esta é uma pescaria que exige equipamentos rápidos, de resistência leve à média.

As linhas devem ser de 10 até 14 libras e os anzóis, até o número 2.

Você pode usar iscas de minhocas, peixes pequenos ou pedaços de peixe, queijo,etc.

Lembre-se sempre de manusear com cuidado, pois os ferões localizados nas nadadeiras dorsal e peitorais causam ferimentos que doem muito. Além disso liberam toxinas que não são fatais, porém podem causar febre, inchaço e dor intensa no corpo.

Caso esteja em busca do Mandi-Amarelo(Pimelodus maculatus), prefira a pescaria noturna, que é o período em que ele está mais ativo. Ele também é conhecido como Mandi-Chorão e Surubim-Bagre.

Vale lembrar sempre: nunca peque ele com a mão. Utilize o alicate para evitar acidentes com o ferrão.

Pessoal, cervejinha e pescaria podem combinar, mas com moderação. Acompanhe aqui neste vídeo, uma aula prática de Como Não Soltar um Mandi.

Propriedades Nutricionais

Uma porção de 143 gramas de Mandí pode oferecer cerca de 206 Calorias, 10,3 gramas de Gordura, 0 Carboidrato e 26,4 gramas de Proteína.

O Mandi na Culinária

Por ter uma carne branca e magra e ainda com poucos espinhos, esse peixe é uma excelente opção de peixe para a culinária.

Uma bela receita é éste Mandi ao Molho com Pirão:

Mandí ao Molho de Pirão

Podemos também aproveitar esta delícia de Moqueca de Mandí:

Moqueca de Mandí

E uma tradicional receita caiçara de Ensopadinho de Mandí com Pirão:

Ensopadinho de Mandí com Pirão

Curiosidades

  • O Instituto Butantã, em São Paulo, vem estudando e desenvolvendo um soro através da extração das toxinas dos bragres para que as vítimas da ferroada destes peixes possam ficar mais protegidas. Menos dor, eliminação da febre seriam apenas uma das vantagens do soro a ser fabricado;
  • O consumo regular do peixe Mandi e outros bagres ajudam na mautenção da pressão arterial equilibrada;
  • No ano de 2014 foi dado início ao programa de repovoamente de Mandi no Alagoas. Com a construção de barragens, o baixo São Francisco comprometeu todo o circuito reprodutivo da espécie.
                   Repovoando o baixo São Francisco

O Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Itiúba(Ceraqua São Francisco) que é mantido pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba(Codevasf) têm cultivado Mandis em pisciculturas e soltando os juvenis para reequilibrar o ambiente.

Com toda certeza o Mandi traz a oportunidade de uma pesca fascinante. Vale apreciar cada momento para aumentar ainda mais as lembranças de uma boa pescaria.

E então? Pronto para esse peixe belíssimo?

Deixe seu voto 😉
[Total: 1    Média: 5/5]
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Ei Vc, entre no Grupo do Telegram e veja as novidades da pescaAperte Aqui