Esses são os 6 peixes que você deve evitar comer

Várias organizações ambientais têm defendido a retirada de vários peixes do cardápio.
Os grandes peixes listados abaixo são apenas seis exemplos de peixes populares que estão fracos e, em muitos casos, transportam níveis mais elevados de mercúrio e PCB.

Peixes com níveis elevados de mercúrio


O fundo de Defesa Ambiental (EDF) também colocou alertas de saúde em alguns destes peixes em seu site.

 

Atum Rabilho

Em dezembro de 2009, o World Wildlife Fund colocou o atum rabilho em sua lista “10 para 2010” de Espécies Ameaçadas, ao lado do panda gigante, tigres e tartarugas-de-couro.
Embora os grupos ambientais estejam defendendo o status de proteção, o atum rabilho continua a comandar até US $177.000 (R$919.299,77) por peixe.

Este peixe também deve ser evitado


O atum rabilho tem níveis elevados de mercúrio e os seus PCB são tão elevados que a EDF recomenda não comer deste peixe.

Robalo Chileno (também conhecido como Toothfish da Patagônia)

O robalo Chileno tem o crescimento lento e é valorizado por sua carne amanteigada, foi pescado até quase o esgotamento em suas águas nativas da Antártica.
Os métodos utilizados para os capturá-los, também danificaram o fundo do oceano e prenderam o albatroz e outras aves marinhas.

Cuidado, eles podem oferecer perigo


Atualmente, existe uma pescaria bem gerida, certificada pelo MSC. A EDF (Uma das organizações ambientais líderes do mundo), emitiu um aviso de consumo para o robalo Chileno devido aos elevados níveis de mercúrio.
Os adultos não devem comer mais do que duas refeições por mês e as crianças de 12 anos ou mais jovens não devem comê-lo mais do que uma vez por mês.

Garoupa

Níveis elevados de mercúrio nestes peixes gigantes levaram a EDF a emitir um aviso de consumo.
As garoupas podem viver até 40 anos, mas só se reproduzem por um curto período de tempo, tornando-as vulneráveis à pesca predatória.

Eles são alvos fáceis da pesca predatória

Tamboril

Este peixe estranho tem a semelhança de um bagre, na medida em que tem bigodes e vive no fundo, mas o seu sabor leve e fresco fez dele um alimento básico para gourmets.

Veja também: Tenha bastante cuidado

O peixe está se recuperando um pouco após ter sido esgotado, mas os arrastões que arrastam também ameaçam o habitat onde vive.

Peixe das profundezas

 

Laranja áspero

Como a garoupa, este peixe tem uma vida longa, mas é lento para se reproduzir, tornando-se vulnerável à pesca predatória.
Assim como declara o Seafood Watch: “Laranja áspero vive 100 anos ou mais, portanto o filé em seu congelador pode ser de um peixe mais velho do que a sua avó!”

Um peixe antigo


Isso também significa que tem altos níveis de mercúrio, fazendo com que a EDF emitisse um aviso de saúde.

Salmão de criatório

A maioria dos salmões de criatório (e todos os salmões rotulados de “salmão do Atlântico” são cultivados) são criados em recintos fechados de rede aberta bem compactados. 
Muitas vezes repletos de parasitas e doenças que ameaçam o salmão selvagem tentando nadar até às suas águas de desova ancestrais.

Cuidado com salmão de criatório


O salmão de viveiro é alimentado com farinha de peixe, com antibióticos para combater doenças e com níveis de PCB suficientemente elevados para exigir um aconselhamento sanitário da EDF.
Recentemente, no entanto, o salmão prateado de água doce ganhou o status de Melhor Escolha da Seafood Watch.
A pressão dos consumidores pode encorajar mais explorações agrícolas a adotarem melhores práticas.

Deixe seu voto 😉
[Total: 0    Média: 0/5]
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Ei Vc, entre no Grupo do Telegram e veja as novidades da pescaAperte Aqui