Peixe com “pé” é visto a 1000m de profundidade

Os pesquisadores e exploradores do alto mar estavam observando o fundo do oceano do sudoeste da Flórida e encontraram um espécie incomum que no início pensaram que fosse uma pedra.

Uma equipe de pesquisadores do Golfo do México gravou novas imagens de um tamboril raro de Schaefer (foto acima), que pode usar suas nadadeiras como se fossem pés
Suas barbatanas funcionam como pés

O mais curiosos desse peixe é sua barbatana que é semelhante a um pé e que permite atravessar o fundo do oceano.

Suas Características 

Chamada de Tamboril de Schaefer (Sladenia shaefersi) ou Peixe-Grilo, a criatura comprida e plana pode atingir quase um metro e meio e pesar até 50 quilos. 

Ele tem uma pele grossa e gomosa com um padrão distintamente manchado que permite que ela se misture ao ambiente sombrio do mar profundo, onde subsiste de uma dieta de outros peixes e pode consumir animais quase o dobro do seu tamanho.

Sua barbatana

O peixe foi descoberto a cerca de 1000 metros abaixo da superfície do oceano, perto de Dry Tortugas, uma pequena ilha no Golfo do México.

Foi uma das paradas finais de uma expedição de um ano, conduzida pelo escritório de pesquisa e exploração oceânica da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica(NOAA).

A Espécie não é muito conhecida

“Esta região possui habitats extensos, ainda pouco conhecidos, no fundo do mar e na água do mar, além de características geológicas únicas”, escreveu a NOAA em uma descrição da missão, relatada pela Newsweek .

“Os dados desta expedição permitirão que cientistas e gerentes compreendam melhor a diversidade e a distribuição de habitats de águas profundas nessa região, permitindo decisões informadas sobre o gerenciamento de recursos”.

Ele é diferente dos demais tamboris

O tamboril de Schaefer foi descoberto em 1976, na costa da Colômbia, no mar do Caribe.

A National Geographic descreveu as espécies carnívoras como “possivelmente o animal mais feio do planeta, e vive no que é facilmente o habitat mais inóspito da Terra: o fundo solitário e sem luz do mar”.

”Embora encontremos tamboril em nossa exploração em águas profundas, essa espécie em particular não é tão conhecida.
Suas barbatanas modificadas que agem como pés, permitindo caminhar no fundo do mar, durante o Mergulho 12 da exploração em alto mar do sudeste dos EUA em 2019 no navio NOAA Okeanos Explorer foi realmente um deleite.” , diz no vídeo abaixo.

 Como Foi Encontrado?

Schaefer's Anglerfish: November 19, 2019

This goosefish (Sladenia shaefersi) has the common name of Schaefer's anglerfish. While we do encounter anglerfish in our deep-ocean exploration, this particularly species is not as well known, so catching a glimpse of it and its modified fins that act much like feet, allowing it to "walk" on the seafloor, during Dive 12 of the2019 Southeastern U.S. Deep-sea Exploration on NOAA Ship Okeanos Explorer was indeed a treat.For more videos and images from the expedition, visit: https://oceanexplorer.noaa.gov/okeanos/explorations/ex1907/logs/photolog/welcome.html

Posted by NOAA Office of Ocean Exploration and Research on Tuesday, December 17, 2019

Devido à extrema profundidade que preferem, os pesquisadores usaram um veículo subaquático operado remotamente, ou ROV, para explorar o fundo do mar.

Quando eles tropeçaram pela primeira vez no tamboril, eles pensaram que era uma rocha que de alguma forma acabou precariamente em cima de um pedaço de coral.

“À distância, pensávamos que era uma rocha e imagine se você fosse um peixe – um peixe pequeno – você nem saberia”, mostra no vídeo

Quando se aproximaram, descobriram que na verdade era um peixe de pé nas barbatanas como pés pequenos.

O tamboril não é apenas conhecido por sua aparência incomum, mas pela intensidade particular de seus hábitos de acasalamento.

Já viu a “nova” espécie de Peixe-boi descoberta no Brasil? Saiba tudo dela

As fêmeas geralmente têm longos espinhos pontiagudos saindo de suas costas, dos quais pequenos pedaços de carne pendem como iscas.

Sua Peculiar Reprodução

Os tamboris se acasalam através do parasitismo sexual.

Isso é quando os machos se apegam aos corpos das fêmeas e se  e gradualmente se fundem, compartilhando a mesma corrente sanguínea, algo que faz os órgãos do macho murcharem, deixando apenas a pele e os testículos para trás.

Esse vínculo faz com que os órgãos internos e os olhos do macho murchem, deixando apenas a pele e os testículos para trás.

O Tamboril feminino foi observado carregando até seis machos parasitas nas costas.

Outras Espécies Foram Observadas

Assim como o peixe-goos, os pesquisadores envolvidos encontraram uma quimera, rattails, lulas, estrelas do mar, estrelas quebradiças, caranguejos, camarões, lagostas e esponjas de 928 a 973 metros de profundidade.

O Peixe Dumbo e suas barbatanas peculiares

Um dos animais que mais chamaram a atenção foi o polvo dumbo(Opisthoteuthis agassizii).

Esse nome se dá por causa de suas barbatanas idiossincráticas, o que dão a característica da espécie.

Essas barbatanas lembram muito as orelhas do famoso elefante do filme Dumbo.

Ele é o tipo de vida mais profunda de todas espécies de polvos conhecidas, o que torna mais fantástico ainda sua observação.

Fonte: Newsweek, Dailymail.

Deixe seu voto 😉
[Total: 2    Média: 5/5]
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Ei Vc, entre no Grupo do Telegram e veja as novidades da pescaAperte Aqui