Espécies quase extraterrestre são encontradas no fundo da Costa Rica

A todo momento surgem novas descobertas. E quanto falamos dos mares então… Tem muita coisa que ainda não sabemos, afinal não é tão simples explorar o oceano.

Peixe do fundo do mar
Tamboril, peixe da mesma família daquele peixe monstruoso de procurando Nemo

Recentemente os cientistas estavam mergulhando profundamente nas águas da Costa Rica e descobriram um tesouro de novas espécies estranhas de todas as formas e tamanhos. E Infelizmente também encontraram a maldade humana dos mares: lixo.

No fundo do mar

Pesquisadores a bordo do navio de pesquisa do Schmidt Ocean Institute, Falkor, conseguiram examinar diversos montes submarinos(montanha no fundo do mar que não chega a aparecer na superfície) e montanhas submarinas formadas por vulcões, perto do Parque Nacional Isla del Coco, ao largo da Costa Rica. 

Pequena parte da diversidade encontrada

Através da realização de diversos mergulhos de submarinos operados remotamente, alguns dos quais estavam em profundidades de quilômetros, eles conseguiram algumas descobertas sem precedentes sobre este ecossistema ainda pouco pesquisado.

Como você pode ver nas imagens, que parece de outro mundo, esse trabalho documentou uma série de diferentes micróbios, corais, ostras, polvos,estrelas do mar, peixes, tubarões e arraias, incluindo quatro novas espécies de corais de alto mar e seis animais que eram anteriormente desconhecidos para a ciência.

Uma Crinoide
Uma Crinoide

“Cada mergulho continuava a nos surpreender”, disse o Dr. Erik Cordes, um ecologista de profundidade na Temple University, na Filadélfia, em um comunicado por e-mail. “Descobrimos espécies de corais rochosos que constroem recifes a mais de 800 metros de profundidade em duas montanhas diferentes. Os registros mais próximos desta espécie são das águas profundas em torno das Ilhas Galápagos.”

Aranhas do mar em corais

“O mar profundo é o maior habitat da Terra. Compreender como esse habitat funciona nos ajudará a entender como funciona o planeta como um todo”, acrescentou.

Alguns ossos, várias descobertas

Ossos a 1 km de profundidade

Em um experimento foi colocado ossos de vacas no fundo do mar e depois de 6 meses eles foram retirados. Antes pensava-se que os ossos(dos animais no geral, como baleias) demorariam décadas para decompor nas águas.

Mas foi descoberto o Osedar, um organismo que está no mar há dezenas de milhões de anos.

Momento em que Osedax gera diversos ovos

O Osedar secreta um ácido para dissolver as partes duras do osso pega o colágeno para usá-lo na cultivação de suas bactérias. O que ajuda na produção de mais 800 ovos diários da fêmea.

O curioso é que o sexo do Osedar depende de onde o ovo for depositado, se for no osso, será fêmea; Se foi na Osedar fêmea será macho.

Uma fêmea de Osedax parcialmente dissecada do osso

Os machos são minúsculos e pode ter até centenas vivendo na fêmea. Quando os ossos foram coletados só tinha fêmeas, mas depois de um tempo foi visto cerca de 15 machos em cada uma delas.

Uma fêmea adulta da Osedax dissecada do osso

Isso acontece porque o osso uma hora ficará cheio de fêmeas e sem espaço para outros Osedars, então as fêmeas secretam um hormônio nos ovos que estão nelas e as transformam em machos

E assim eles mantém o ciclo de vida deles.

São diversas descobertas fascinantes que o fundo do mar nos reservam.

O Dr. Greg Rouse esteve envolvido nas descobertas e nomeações de mais de 100 espécies de animais, publicou mais de 220 artigos científicos e 2 livros

A parte ruim dos mergulhos

Apesar das boas descobertas, também teve aquelas que muitos deles temiam. 

Um de seus mergulhos mais profundos, que foi a cerca de 3.600 metros, descobriu a presença de lixo humano. Ou seja, o lixo está alcançando lugares que muitas pessoas pensavam que não seria possível chegar.

Com as indústrias da pesca e da energia cada vez mais olhando para as profundezas dos mares do mundo, os pesquisadores alertam que a pegada humana só ficará cada vez maior nesse lugar que deveria ser só beleza.

No entanto, para proteger o ecossistema dos flagelos da mineração e da pesca, os pesquisadores esperam que sua deslumbrante exibição das novas espécies descobertas no fundo do mar consiga convencer as autoridades para criar uma nova área marinha protegida em torno dos montes submarinos.

Alguns dos animais que se encontram na costa rica

“Esta nova pesquisa irá apoiar os esforços da Costa Rica para conservar esses importantes habitats, fornecendo uma linha de base das incríveis espécies e ecossistemas encontrados nas áreas mais profundas que nem sempre atraem a atenção que eles merecem”, disse a co-fundadora do Instituto do Oceano Schmidt, Wendy Schmidt.

Certamente irá lhe interessar: 34 fatos sobre as mudanças climáticas que poucas pessoas sabem

“Uma das coisas mais importantes que podemos fazer agora é entender como essas comunidades funcionam, então, se houver mudanças no futuro, podemos medir o impacto humano.”

A importância de conservar os mares

Cada lugar que o navio explora na Costa Rica se mostra único por diversos motivos, que é a razão pelo qual os cientistas ficam cada vez mais otimistas para explorar o local.

O camarão Glyphocrangon que foi descoberto somente em 2010

A Costa Rica tem 4,5% da biodiversidade terrestre e ainda tem 3,5% das espécies marinhas de todo o planeta. O local ajuda a regular o clima, tem um papel importantíssimo na reciclagem de matéria orgânica, além disso tudo, é uma ótima fonte de produtos farmacêuticos.

Esses são somente alguns dos motivos para que a área seja cada vez mais preservada e estudada.

Fontes:IfScience, Schmidt Ocean

Deixe seu voto 😉
[Total: 0    Média: 0/5]
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Ei Vc, entre no Grupo do Telegram e veja as novidades da pescaAperte Aqui