Como os peixes conseguem perceber o mundo ao seu redor

Viver num ambiente subaquático têm os seus desafios. A água é significativamente mais densa que o ar, e os peixes se adaptaram de várias formas para lidar com as pressões de estar debaixo d’água.

Peixe Olho de Boi pode transmitir Haff
Peixe Olho de Boi


Os peixes precisam perceber todas as mudanças em seu ambiente, por menor que seja a mudança.
Grande parte das adaptações ajudam os peixes a sentir o mundo ao seu redor. Os olhos, narinas e órgãos de linha lateral especializados são os seus órgãos sensoriais primários.

Como funciona os olhos dos peixes

Olhos de peixe são muito semelhantes aos olhos dos mamíferos, exceto que eles se adaptaram para trabalhar bem debaixo d’água.
Se você já nadou em uma piscina e abriu seus olhos debaixo d’água, você pode perceber que você pode ver bem, mas não com a mesma definição que no ar.

O mundo através do olhar do peixe


Os olhos dos peixes diferem pelo fato de ter uma lente redonda, ao contrário das ovoides, e focam movendo a lente para frente e para trás, em vez de contrair a pupila.
A forma e a cor dos olhos dos peixes variam muito entre as espécies, dependendo da sua alimentação e estilo de vida.
Os peixes predadores podem fazer mudanças rápidas em seu foco para ver presas em potencial.

Já os necrófagos, que se alimentam do fundo, são lentos para se concentrar, uma vez que eles só precisam focar no substrato do fundo.

 

Como funciona o nariz dos peixes

As narinas dos peixes são projetadas para detectar diferenças químicas no ambiente circundante.
Mesmo que os peixes não tenham um nariz verdadeiro, eles têm excelentes sentidos olfativos.

Narina do peixe


Os peixes usam o seu olfato para alimentação, reprodução, migração e para saber quando outro peixe está em perigo.
Ao adicionar tratamentos diferentes ao seu tanque ou lagoa, os peixes muitas vezes reagem ao cheiro do produto químico primeiramente e tentam alterar o seu comportamento, normalmente nadando para longe.

Os peixes mantidos em cativeiro que perderam a visão podem contar com o nariz para farejar a comida.
Assim como a grande variedade de visão, o olfato dos peixes difere entre as diferentes espécies.

 

A linha lateral 

A adaptação mais original dos peixes para sentir o seu ambiente subaquático é a sua linha lateral.
Se você já olhou para o lado de um peixe, ao longo da linha média em ambos os lados existe uma fileira de manchas.

A linha lateral do peixe


Diferentes espécies desenvolveram diferentes padrões de cor, tornando alguns mais fáceis de ver do que outros.

Veja também: Curiosidade sobre os peixes

Em peixes sem escama, como o bagre, as manchas são todas conectadas e fáceis de ver. Estas manchas formam o órgão da linha lateral.

Cada um desses pontos são poros contendo uma estrutura sensorial chamada neuromast. Um neuromast é feito de uma célula de ciliada dentro de uma pequena cúpula.
Estes poros estão ligados ao ambiente aquoso externo e vibram com mudanças no fluxo e vibrações ao redor do peixe.
Este órgão incrível é encontrado em todas as espécies de peixes teleósteos (barbatanas com raios) e pode ser usado de diversas formas, dependendo do comportamento e estilo de vida dos peixes.
Os peixes podem usar as informações que obtêm de sua linha lateral para encontrar presas, evitando predadores, educar em grupo e se comunicar.
Peixes em tanques e lagoas podem distinguir entre as diferentes vibrações dos passos dos cuidadores à medida que se aproximam, especialmente com o incentivo adicional de alimentos.
E quando todos os outros sentidos são cortados, o sistema de linha lateral pode ajudar os peixes, permitindo-lhes sobreviver em condições adversas.

 

Como os peixes identificam a temperatura e campos elétricos na água

Ainda mais especializadas são as ampolas de Lorenzini, encontradas em tubarões e outros peixes cartilaginosos.
Esses poros encontrados ao redor do nariz, boca e olhos são usados para detectar campos eletrônicos fracos debaixo d’água. 

Eles conseguem sentir o cheio da eletricidade


Cada poro conecta a água as células sensoriais cercadas por uma substância gel que conduz sinais elétricos para o cérebro do tubarão.
Usando este órgão, um tubarão pode detectar presas que não consegue ver, cheirar ou sentir de qualquer outra forma.

Os peixes são incríveis que prosperam debaixo d’água por vários e vários anos, através dos seus sentidos especializados.

Eles conseguem se adaptar perfeitamente para interpretar e reagir ao mundo oceânico.

Deixe seu voto 😉
[Total: 0    Média: 0/5]
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Ei Vc, entre no Grupo do Telegram e veja as novidades da pescaAperte Aqui