Animal que não precisa de oxigênio vive dentro de Samão

Tenho certeza de que você concorda que o oxigênio é muito importante para a vida na Terra.

Nós inspiramos, nossas células sobrevivem e sem ela, estamos praticamente condenados. Basicamente, toda a vida multicelular na Terra evoluiu ao longo de milhões de anos para utilizar oxigênio.

Mas respire fundo, porque precisamos falar sobre o Henneguya salminicola, um pequeno parasita contendo menos de 10 células que vive no tecido muscular do salmão.

O parasita com aparência de girino alienígena não se ocupa de assuntos triviais, como respirar oxigênio. Não, parece que H. salminicola é o primeiro animal multicelular que descobrimos que sobrevive sem esse material.

“A respiração aeróbica era onipresente em animais, mas agora confirmamos que esse não é o caso”, disse Dorothee Huchon, zoólogo da Universidade de Tel Aviv, em Israel, em um comunicado à imprensa.

Como assim sem respirar?

Se prepara para a explicação científica.

Não precisa de oxigênio para sobreviver

Huchon e uma equipe de pesquisadores internacionais examinaram e sequenciaram todos os genes de H. salminicola em seu estudo, publicado segunda-feira na revista Proceedings da Academia Nacional de Ciências.

Eles descobriram que o parasita, que está intimamente relacionado à água-viva, não possui o mecanismo de DNA necessário para “respirar” – ele não possui mitocôndrias, muitas vezes chamadas de “casa de força” da célula, porque usam oxigênio para produzir energia.

É como uma pequena fábrica dentro de (quase) todas as células, e os detetives do DNA podem encontrar genes mitocondriais durante o sequenciamento.

A descoberta veio como um acidente para a equipe, que estava investigando o genoma da espécie. Quando foram procurar os genes mitocondriais, surgiram de mãos vazias.

A evolução é mais complexa do que se imagina

“Nossa descoberta mostra que a evolução pode ir em direções estranhas”, disse Huchon.

Não usa respiração aeróbica

“A respiração aeróbica é uma importante fonte de energia e, no entanto, encontramos um animal que abandonou esse caminho crítico”.

Algumas formas de vida unicelulares desenvolveram a capacidade de sobreviver sem oxigênio e também não possuem mitocôndrias.

Muitas bactérias e protozoários podem existir sem oxigênio, como aqueles no fundo do oceano, perto de fontes hidrotermais e como alguns patógenos humanos que vivem dentro do corpo. Em vez de oxigênio, eles obtêm sua energia da fermentação ou usam outras moléculas como mercúrio ou ferro.

Mas como o H. salminicola gera energia ainda não está claro. Huchon sugere que ele poderia extrair oxigênio das células do salmão ou poderia ter desenvolvido métodos semelhantes aos dos organismos unicelulares que os cientistas documentaram no passado.

O parasita

Henneguya salminicola é um cnidário de mixozoários – um tipo de animal relacionado a águas-vivas e corais.

É dá mesma família das águas vivas [Imagem meramente ilustrativa]

Consiste em menos de 10 células em seu ser. Ele vive dentro dos músculos do salmão e drena a energia de seu hospedeiro. 

Mas não é um parasita prejudicial. Ele pode viver a vida inteira do peixe dentro dele.

O ambiente dentro de seu hospedeiro é quase totalmente livre de oxigênio.

Isso significava que não precisava mais das mitocôndrias, uma vez que encontrava outra maneira de se adaptar. Por isso, abandonou inteiramente seu genoma mitocondrial, para economizar energia e não copiar genes para multiplicação. Desistiu de respirar. 

Houve descobertas de outras espécies que pararam de respirar, mas este é o primeiro animal. A descoberta também põe em questão a definição de ‘animal’ em si, já que respirar oxigênio faz parte dela. 

Ele não prejudica o salmão

“Geralmente, acredita-se que, durante a evolução, os organismos se tornam cada vez mais complexos, e que organismos unicelulares ou unicelulares simples são os ancestrais de organismos complexos”, disse Huchon.

“Mas aqui, diante de nós, existe um animal cujo processo evolutivo é o oposto. Vivendo em um ambiente livre de oxigênio, ele liberou genes desnecessários responsáveis ​​pela respiração aeróbica e se tornou um organismo ainda mais simples. ”

É possível que existam outros animais que também vivam livres de oxigênio ou tenham evoluído de outra maneira peculiar. Os resultados indicam que pode haver muito mais desses animais que contrariam nossa compreensão da vida.

A pesquisa foi divulgada pela PNAS. Mas também pode ver informações na AFTAU.

Deixe seu voto 😉
[Total: 0    Média: 0/5]
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •