A orgia das Corvinas, o maior ruído do mar

No Golfo da Califórnia, quando o cheiro do amor está no ar(ou na água?), o corvina macho toca uma canção de amor sexy que foi comparada a “uma metralhadora muito alta”.

Parece isto aqui:

Só que estes peixes não cantam sozinhos. A maior parte do ano, eles são espalhados por todo o Golfo, mas na primavera, todos os adultos faz uma mega reunião e extravagante de acasalamento no delta do Rio Colorado.

Esta “agregação de desova” pode incluir milhões de peixes espalhados por uma área de 27 quilômetros de largura. 

E realmente a coisa fica muito barulhenta.

“O coro soa como uma multidão aplaudindo em um estádio ou talvez uma colmeia muito alta”, disse Timothy Rowell da Scripps Institution of Oceanography em um comunicado de imprensa.

E ele sabe muito bem disso, pois na  primavera de 2014, Rowell e seu  colega de Brad Erisman da Universidade do Texas, em Austin, juntou-se com cerca de 1,5 milhões de corvinas em seu acasalamento frenético, a fim de medir o quão alto esses peixes incriveis pode obter.

Escutando sem equipamentos

Os machos emitem sons que atraem as fêmeas

“Esse acasalamento se batem nos cascos de pequenos barcos de pesca de fibra de vidro (pangas) e são audíveis muito bem com o ouvido nu”, eles descrevem em seu artigo. 

O som é tão intenso que pode abafar o barulho dos motores de barco, tornando-se uma tarefa fácil para os pescadores para seguir sua audição coletando as corvinas.

“Esses eventos de desova estão entre os mais altos eventos de vida selvagem encontrados no planeta Terra”, disse Rowell. 

E você aí pensando que seu vizinho barulhento é desagradável.

Armados com equipamento de gravação subaquático especializado, seus ecos e hidrofones, os cientistas gravaram os peixes, documentando pela primeira vez o quão  barulhentos eles ficam. 

Eles descobriram que os peixes criam um ruído de mais de 200 decibéis,  se você estivesse perto da turbina de um avião, sem proteção, seria algo em torno de 150 decibéis. E isto pode durar dias.

O ruído não é qualquer coisinha no oceano. Sons altos, como os sons dos navios que falamos aqui, podem realmente interromper a vida das criaturas marinhas, tanto que especialistas em conservação marinha desenvolveram diretrizes de ruído para a atividade humana na água.

Mas parece que as corvinas não se importam com essas regras: apenas duas horas de seu refrão excede um nível de ruído recomendado de um dia inteiro.

O Golfo de corvina vive apenas no Golfo da Califórnia, e depois de uma longa história de sobrepesca, suas populações estão em declínio.

Problema com outros animais

Seu som machuca outros animais

Para os animais próximos, este som pode ser mais do que uma perturbação: tem o potencial de causar danos permanentes. 

Para os mamíferos marinhos, como os golfinhos e os leões marinhos que os pesquisadores viram na região se alimentando de peixes,ouvir o ruído neste volume pode causar perda auditiva temporária, e depois de um dia inteiro de exposição, surdez permanente

Tomara que os mamíferos famintos saibam não fiquem lá por muito tempo, já que essa reuniãozinha dura alguns dias, mas é provável que fique a Piiiiii que escutamos quando ficamos expostos a sons altos.

É o tipo de evento uma vez por an,o mas os pesquisadores estão preocupados que pode não ser por muito tempo. Sabe daqueles pangas que vão buscar o peixe? Os pesquisadores explicam que ” uma única panga com uma rede pode pegar duas toneladas de corvina em poucos minutos, e a frota local de 500 pangas colhe até 5.900 toneladas, dois milhões de corvina, em 20 dias de pesca por ano.”

Esta única espécie de peixe que vive apenas no Golfo da Califórnia, e depois de uma longa história de sobrepesca, além do fato de que o Rio Colorado ainda não fluiu de forma consistente em mais de cinqüenta anos, há evidências de declínio das populações desses peixe e os próprios peixes vem diminuindo de tamanho médio, com o passar das décadas.

Os investigadores sugerem que a gestão da pesca será importante para preservar as corvinas no futuro. 

Todos concordamos que seria uma pena perder o estranho espectáculo das orgias de peixe mais barulhentas do mundo.

Além da pesca desse peixe fantástico, pegar uma corvina no anzol é uma grande emoção.

Se souber um pouco de inglês, aprenda mais sobre esse evento das corvinas e sua vulnerabilidade à sobrepesca nesse vídeo produzido pela  Natural Numbers:

Fonte: Earth Touch Network

Deixe seu voto 😉
[Total: 0    Média: 0/5]
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Ei Vc, entre no Grupo do Telegram e veja as novidades da pescaAperte Aqui